Viajando de avião com bebê de 5 meses

Apreensão e ansiedade. Isso definiu os minutos que antecederam o embarque para o primeiro voo com a Valentina. Ficávamos nos perguntando como ela iria se comportar, quais suas reações, quais nossas reações, como contornar tal situação, etc.

Mas agora, com essa etapa vivenciada de forma positiva, posso descrever essa experiência e dar algumas dicas para quem passar por esse momento.

Viajando de avião com bebê

Vamos aos detalhes!

Chegamos ao aeroporto internacional de Florianópolis com uma hora e meia de antecedência, a fim de fazer o check-in e marcar os assentos prioritários.

Um dia antes eu já havia ligado para a companhia aérea e solicitado uma pré-reserva dos assentos, mas mesmo assim era necessário chegar cedo para garantir um bom lugar.

É importante no momento do atendimento você solicitar os assentos prioritários, pois caso contrário o atendente pode marcar assentos normais.

O destino da viagem era o resort Costa do Sauípe situado na Mata de São João, Bahia. Com isso, iríamos desembarcar no aeroporto internacional de Salvador e pegar um translado até o local.

Voamos com a companhia Avianca e consideramos todo o serviço muito bom. Fomos muito bem atendidos e os funcionários foram prestativos quando necessitamos.

Viajando de avião com bebê

Como descrevi no artigo Preparando as malas para a primeira viagem do bebê, nós resolvemos levar duas malas grandes, uma mochila e a bolsa da Valentina.

Optamos também em levar o carrinho de bebê, porém sem o bebê conforto.

A ideia era intercalar os passeios hora com o carrinho, hora com o canguru, porém devido a acessibilidade do local utilizamos somente o carrinho para locomoção.

Quando realizamos o check-in, nós decidimos despachar as malas e ficar com o carrinho de bebê até o embarque. Foi uma opção sugerida pela atendente no momento do atendimento.

Pouco antes de subir no avião, nós entregamos o mesmo a um funcionário da Avianca que colocou no compartimento de bagagens.

Assim, retiramos o carrinho somente em Salvador, junto com as malas, porém em esteiras diferentes. Poderíamos optar por retirar o carrinho na conexão em Guarulhos, mas como o voo estava atrasado, a troca de aeronave foi bem rápida e não teve necessidade.

Com relação ao comportamento da Valentina no voo, não poderia ser melhor. Logo que entramos no avião minha esposa deu uma mamadeira com 150ml de Nan, e ao terminar de beber, ela dormiu e só acordou na troca de aeronave em Guarulhos.

Viajando de avião com bebê

Como a Valentina dormiu no primeiro trecho, já sabíamos que no próximo ela iria ficar acordada. Então utilizamos a tática da chupeta na hora da decolagem para não ocasionar incomodo no ouvido.

Eu havia lido em vários sites sobre essa sugestão, e realmente no nosso caso funcionou. Ela não chorou na decolagem e nem durante o voo. Foi o tempo todo interagindo conosco, e volta e meia, dando alguns de seus gritos de “alegria”.

Pouco antes do avião aterrissar, ela pegou no sono e só foi acordar no setor de retirada das malas, isso porque tinha algumas crianças correndo e gritando nos corredores, então foi inevitável.

Com essa primeira experiência bem positiva, acho que agora podemos almejar viagens com voos mais longos.

Então um até breve!

E não se esqueça! Dúvidas deixe seu comentário, gostou do artigo compartilhe =D, e por último, não deixe de se cadastrar em nossa newsletter para receber mais dicas e novidades em viagens com bebês.

Leia também:

Preparando as malas para a primeira viagem do bebê
Experiência no resort Costa do Sauípe com bebê

Leandro Bolsoni

Leandro Bolsoni

Formado em Administração e Gestão em Tecnologia da Informação, é um entusiasta por viagens e todo planejamento que envolve esse entretenimento. Criador do blog Valentina na estrada, que tem o objetivo compartilhar informações de experiências obtidas em suas viagens em família.
Leandro Bolsoni

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *